top of page

Lançamento do livro-glossário | EM NOSSAS ARTÉRIAS NOSSAS RAÍZES


Lançamento do livro-glossário

EM NOSSAS ARTÉRIAS NOSSAS RAÍZES

Sexta, dia 24/02/2023 às 15h

Programação do dia:

* Mostra e venda de artes indígenas

* Roda de conversa com Urutau Guajajara e Potyra Guajajara e autores

* Leitura coletiva de trechos do glossário

Participe e traga algo de comer ou beber para nosso lanche coletivo

Teremos a presença de intérprete de libras

Endereço:

R. Mata Machado 126, entrada pela Av. Rei Pelé 1051 (portão de grade verde) - Bairro Maracanã

——————

Os povos do Maraka’nà são aqueles da tradição ancestral indígena do maracá – um instrumento de percussão, utilizado por centenas de etnias indígenas do Brasil. O maraka’nà é, também, um tipo de arara, comum em florestas tropicais brasileiras.

A Aldeia Maraka’nà, por sua vez, é um aldeamento em contexto urbano, uma área de autonomia indígena, que demanda demarcação e reparação pelos mais de 500 anos de opressão aos povos originários. Nos situamos ao lado do famoso estádio do Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, mas o que pouca gente sabe é que aqui em nossa terra também está localizado o prédio em que se instalou o primeiro Museu do Índio da América Latina e ocorreram muitos outros fatos importantes para a história do movimento indígena no Brasil.

EM NOSSAS ARTÉRIAS NOSSAS RAÍZES é um glossário, que chamamos também de raizário, que expressa o pensamento de resistência de nossa retomada. Contém textos e transcrições de conversas realizadas na Aldeia entre 2019 e 2022, assim como textos e imagens produzidos coletivamente ao longo dos mais de 17 anos de existência da Aldeia Maraka’nà.

Aqui na Aldeia criamos a Universidade Indígena Aldeia Maraka’nà, nosso principal projeto, levando à frente o programa descolonial de produção de conhecimento autônomo. Os diversos saberes organizados nesta publicação buscam fortalecer as raízes da Aldeia e de outros grupos e comunidades indígenas, assim como grupos e comunidades em seus processos de resistência e em situação de (sub)urbanidade. Esta publicação foi tramada por muitas vidas-raízes. Cuidar dessa terra – e dessa Aldeia, Teko haw – é permitir que as raízes permaneçam profundas e ramificantes.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Untitled

Comments


bottom of page